Diretor de Relações Internacionais da CSPB em destaque, ao denunciar governo brasileiro por atacar liberdade sindical na OIT

9/06/2022 | 07:52



O governo brasileiro foi denunciado nesta quarta-feira (8/6) à Organização Internacional do Trabalho (OIT) por descumprir uma norma internacional de 2010 que garante liberdade sindical e negociação coletiva a servidores públicos.

 
Print da chamada da notícia no Portal Metrópoles. Denuncia na OIT ganhou respercussão no noticiário nacional 


O Diretor de Relações Internacionais da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil - CSPB, Sérgio Augusto Jury Arnoud, participa ativamente da Conferência Internacional do Trabalho (CIT),  realizada na sede da Organização Internacional do Trabalho (OIT), em Genebra.  A CIT, também chamada de parlamento mundial do trabalho, é o maior encontro internacional da área. Participam do evento representantes de governos, empregadores e trabalhadores dos 187 estados membros da OIT (Organização Internacional do Trabalho). O dirigente da CSPB está acompanhando a delegação da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), entidade em que é vice-presidente. O líder sindical vem tendo atuação destacada nas agendas dentro e fora da CIT, e sua participação está repecutindo na imprensa nacional. Abaixo, mais detalhes da denuncia protocolada na OIT. Matéria do jornal Metrópoles:


Governo brasileiro é denunciado na OIT por atacar liberdade sindical


Denúncia afirma que Brasil descumpre norma internacional que assinou em 2010





por Guilherme Amado e Eduardo Barretto 


O governo brasileiro foi denunciado nesta quarta-feira (8/6) à Organização Internacional do Trabalho (OIT) por descumprir uma norma internacional de 2010 que garante liberdade sindical e negociação coletiva a servidores públicos.

O documento foi assinado por Antônio Neto, chefe da Delegação de Trabalhadores do Brasil na OIT e presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), e Alison Aparecido, presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União (Sindilegis). Neto teve uma reunião mais cedo com o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, com participação de Sérgio Arnoud, vice-presidente da CSB e presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos no Estado do Rio Grande do Sul (Fessergs).

De acordo com a denúncia, o Brasil não tem cumprido a convenção 151, que foi assinada em 2010 pelo governo brasileiro. “As ações do governo têm reiterado práticas que migitam a negociação coletiva”, afirmou o documento, acrescentando: “Não há justificativa legal para o Governo evitar ou mitigar a negociação coletiva com as entidades representativas dos servidores públicos, como vem ocorrendo”.


::Na OIT, trabalhadores denunciam genocídio e autoritarismo do governo Bolsonaro::


Um dos exemplos foi o ato de Jair Bolsonaro que excluiu, em 2019, a Mesa Nacional de Negociação do SUS. O colegiado, que foi reativado em 2003, era composto por representantes dos governos federal, estadual e municipais, prestadores de serviço e trabalhadores da saúde.


Clique AQUI e acesse o conteúdo original, na página do jornal Metrópoles




Fonte: Portal Metrópoles com adptações da Secom/CSPB

 
.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)