Feserp Minas: Funcionários da AMAC aprovam pauta da Campanha Salarial 2022 e autorização para dissídio coletivo

17/12/2021 | 09:29





Em Assembleia Geral Extraordinária, realizada na noite desta terça-feira (14 de dezembro), os funcionários da AMAC aprovaram, por unanimidade, a Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial 2022 e a autorização para uma possível celebração de dissídio coletivo. “Foi uma reunião bastante importante, com representantes de todos os segmentos da Associação: servidores das creches, CRAS, dos Curumins e o pessoal da manutenção e dos abrigos”, destacou o diretor de Relações de Trabalho do Sinserpu-JF, Júlio Mendonça, que é funcionário da AMAC.

A Pauta de Reivindicações da categoria aprovada tem 10 itens (veja abaixo), com destaque para o pedido de isonomia no reajuste salarial, uma vez que os trabalhadores das creches receberam, merecidamente, uma reposição salarial de 4%, não estendida aos demais.

A questão do dissídio coletivo, por sua vez, será usada na hipótese de as negociações coletivas não avançarem. “A aprovação na Assembleia é o início de tudo, pois temos que cumprir os prazos visando a data-base que é primeiro de março”, explicou a assessora jurídica do Sinserpu-JF, Elisângela Márcia do Nascimento.

Durante a Assembleia desta terça-feira, os trabalhadores reclamaram da “brutal defasagem salarial”, fruto de anos sem reajustes salariais, de perdas constantes de direitos (como o triênio e o ticket alimentação) e dos valores exorbitantes do Plano de Saúde disponibilizado pela direção da AMAC.





Pauta da Campanha Salarial 2022 da AMAC:


1) Recomposição salarial do período, 2021 a 2022, pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo);

2) Adesão a um plano de saúde, contemplando toda a categoria;

3) Cumprimento da concessão do ticket alimentação, conforme acordo coletivo;

4) Isonomia no reajuste salarial – mesmo índice concedido aos funcionários das creches (4%)

5) Promoção por mérito e antiguidade, deixando, por exemplo, de contratar uma pedagoga e buscando a profissional nos quadros da AMAC, evitando, assim, a contratação externa;

6) Licença maternidade de 180 (cento e oitenta) dias e licença paternidade de 10 (dez) dias;

7) Licença para acompanhamento de familiar enfermo de 30 (trinta) dias por ano;

8) Condições dignas de trabalho, manutenção da frota de veículos e fornecimento de equipamentos de segurança do trabalho;

9) Criação de adicional de risco para os funcionários que laboram suas atividades diretamente com os cidadãos de rua e nas Casas que laboram suas atividades 24 horas, garantindo a proteção desses profissionais que tem sofrido muitas agressões no local de trabalho;

10) Publicação de salários no Portal da Transparência da AMAC, no site da Associação.



O documento foi protocolado na AMAC (foto 4) na tarde desta quarta-feira (15 de dezembro), pelos diretores do Sinserpu-JF Júlio Mendonça e Francisco “Chiquinho” Carlos da Silva (presidente do Sindicato).



Fonte: Federação Estadual Única, Democrática dos Sindicatos de Servidores, Funcionários Públicos das Câmaras de Vereadores, Fundações, Empresas Públicas, Autarquias e Prefeituras Municipais de Minas Gerais - Feserp/MG

 
.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)