MG: Sindiseto repudia a Prefeitura, que retirou o adicional de insalubridade dos servidores da saúde que estão no combate à pandemia

14/10/2021 | 08:20





Na manhã do último sábado, 9 de outubro, o Sindiseto (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teófilo Otoni) emitiu nota repudiando as ações da Prefeitura de Teófilo Otoni, que retirou o adicional de insalubridade dos servidores da saúde que enfrentam a pandemia da Covid-19, protegendo a população neste momento caótico em termos sanitários.

Leia a nota na íntegra e entenda a situação:

O Sindiseto, Sindicato representante dos Servidores Públicos municipais, vem a público repudiar a atitude desumana da prefeitura para com uma boa parte dos servidores da saúde, educação e outras secretarias municipais. Enquanto algumas Prefeituras de todo o Estado preocupam em proteger e valorizar o servidor, a nossa Administração Municipal, mesmo ainda em meio de uma pandemia, retira o ADICIONAL DE INSALUBRIDADE de servidores que estão trabalhando dentro de hospitais e unidades de saúde no enfrentamento à pandemia do covid. Essa diretoria, continuará na luta, pois ela é contra todo e qualquer corte de direitos e salários dos servidores. É inadmissível esse corte de insalubridade, nesse momento, em que o servidor dedica o seu trabalho para atender a população, protegendo contra todo tipo de vírus, sendo que ele tenha a sua própria saúde desprotegida. E isso, veio acontecer em um mesmo mês em que todos os servidores municipais, acabam de sofrerem uma pancada muito grande em seus salários, com a perda do percentual de 3%, para o aumento da alíquota da previdência do Sisprev, sendo que todos estão há mais de cinco anos sem nenhuma revisão salarial. Este Sindicato está pronto para lutar, até onde for possível, para ver onde está a constitucionalidade do corte de insalubridade nos salários dos servidores, principalmente nesse momento de pandemia. Pois, para esse Sindicato, é uma atitude desumana e um desrespeito aos servidores e às suas famílias.

Esta é também uma atitude que vai contra o que está sendo feito em outras prefeituras, como exemplo; a de Juiz de Fora, que recentemente divulgou a revisão nos salários dos seus servidores, que também ainda estão enfrentando a pandemia do covid 19.

O Sindseto sugere à prefeitura que comece por cortar as gordas gratificações e as regalias dos cargos comissionados antes de prejudicar os servidores públicos, como profissionais de saúde, educação e outras secretarias. Se essa Administração quer uma boa contribuição dos servidores, é melhor começar dando bom exemplo, devolvendo o que está sendo retirado dos seus salários.


Diretoria do Sindiseto



Fonte: Federação Estadual Única, Democrática dos Sindicatos de Servidores, Funcionários Públicos das Câmaras de Vereadores, Fundações, Empresas Públicas, Autarquias e Prefeituras Municipais de Minas Gerais - Feserp/MG com informações do Sindiseto

 
.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)

Em vídeo, João Domingos Gomes dos Santos destaca papel indispensável dessas categorias, evidenciado, sobretudo, durante o enfrentamento heroico contra a pandemia coronavírus.