fechar atenção

Busca não realizada!

Sua busca deve conter no mínimo 2 letras

Live Internacional: Impactos na América Latina e Caribe no pós pandemia

19/05/2020 | 19:03



João Domingos Gomes dos Santos, presidente da CSPB


Nesta terça-feira (19/05) a Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB foi protagonista, em conjunto com a Confederação Latinoamericana de Trabalhadores Estatais – CLATE e a Internacional de Serviços Públicos – ISP, de Live Internacional (saiba mais) que debateu a construção de alternativas pós pandemia para o enfrentamento dos impactos econômicos, sociais e sanitários resultantes do coronavírus. O evento virtual foi transmitido, simultaneamente, às entidades que integram a malhar orgânica da CLATE e ISP, especialmente as pelas representações sindicais latino-americanas.





Síntese das discussões


Os participantes chegaram ao consenso de que pandemia acirrou a disputa entre o estado e o mercado, evidenciando a incapacidade do setor privado de apresentar alternativas viáveis ao enfrentamento da pandemia. Sugestões como a taxação de empresas transnacionais; reestatização; preservação das cadeias alimentares do mundo; quebra de patentes de medicamentos; pacto nacional pelo desenvolvimento com participação das organizações sociais e sindicais; repatriação de recursos identificados em paraísos fiscais; estiveram no centro das discussões.

O importante serviço prestado pelos trabalhadores do setor público ganhou destaque nos debates. As lideranças sindicais estão conscientes de que pandemia evidenciou, sobretudo, a imprescindível  atividade dos profissionais estão na linha de frente do combate à pandemia. No entanto - sem o mesmo reconhecimento social dado o isolamento e invisibilidade de suas ações - o teletrabalho, atividade indispensável ao funcionamento da máquina pública, está resultando em sobrecarga de atividades aos profissionais demandados. Os gestores e empresários seguem desrespeitando períodos de descanso, além de não ofertar ambiente apropriado à atividade laboral. Os sindicalistas defendem que, dadas as circunstâncias, o teletrabalho deveria ser, em casos específicos, voluntário.

Os debatedores estão convencidos de que o futuro pós pandemia está em disputa. De acordo com os líderes sindicais, uma nova ordem social está surgindo e, conforme observado historicamente, o capitalismo, quando se reinventa sobre seus próprios termos, tende a agravar as mazelas sociais em favor da concentração de renda e do lucro abusivo, descompromissado com a sustentabilidade. “Convoco nossas parceiras internacionais, CLATE e ISP, para intervir nessa agenda e virarem protagonistas desse novo futuro em disputa. Precisamos interferir nesse momento de construção do novo mundo, com desenvolvimento sustentável e justiça social, que nos guiará a todos”, sugeriu o presidente da CSPB, João Domingos Gomes dos Santos. "Não haverá nenhuma solução efetiva para nossas mazelas sem mudar o modelo de Estado. A saída é aproveitar essa oportunidade ímpar para disputarmos um novo modelo de organização da sociedade. O Estado Democrático Social de Direito, o modelo que sugerimos, coloca a humanidade no centro das prioridades, respeitando os limites da sustentabilidade ambiental e potencializando promoção de uma sociedade efetivamente comprometida com o bem-estar social, concluiu o líder sindical. 


Assista a íntegra da Live Internacional:





* Ajuste o volume do áudio no canto inferior direito do vídeo acima




Secom/CSPB com Sindicatos Online
 
.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)

Em vídeo, João Domingos Gomes dos Santos destaca papel indispensável dessas categorias, evidenciado, sobretudo, durante o enfrentamento heroico contra a pandemia coronavírus.