fechar atenção

Busca não realizada!

Sua busca deve conter no mínimo 2 letras

Diretora de Mulheres da CSPB participa de Seminário em Costa Rica

5/11/2019 | 07:10






por Katia Rodrigues
 

 
Na semana de 21 a 23 de outubro, foi realizado o Seminário Internacional “Justiça Fiscal em Serviços Públicos com Orientação na Igualdade de Gênero” coordenado pela ISP - Internacional de Serviços Públicos em parceria com a Fundação FES - Friedrich Ebert Stiftung no Hotel Radisson  San José-Costa Rica, com a representação/participação de Kátia Rodrigues, Diretora de Assuntos da Mulher Gênero e Juventude da FESSP-ESP, SISPESP, CSPB , NCTS-SP e também membro do Comitê Executivo do IAMREC.
 
Na mesa de abertura, saudando as participantes de diversos países da América Latina,   América Central e Países Andinos,  Maria Esther Hernández Solís - Coordenadora do Comitê de Mulheres ISP - Costa Rica;  Oscar Rodrígues León - Secretário Subregional da ISP México, Centroamérica, República Dominicana e Cuba; e  Mirko Hempel - Representante da Costa Rica, El Salvador e Panamá da Fundação FES; e Gabriel Casnasti, Coordenador do Projeto Regional de Comércio e Tributação da ISP-FES.






 
No início do seminário, no primeiro painel, Verónica Montúfar - Coordenadora Mundial de Igualdade de Gênero da ISP; e Maria Fernanda Valdés - Coordenadora do Projeto Regional de Tributação para Igualdade da FES - FES Tributacíon, apresentaram o tema: Comércio, Justiça Fiscal e Políticas Públicas com objetivo da Igualdade de Gênero no Mundo do Trabalho dentro da ISP e FES.
 
No segundo painel, Patricia Fuertes - Investigadora da publicação: evasão e ilusão tributária 2006-2016 dos Serviços Públicos e o impacto nas mulheres e crianças do Peru, Roxana Morales, Coordenadora do Observatório Econômico e Social da Universidade Nacional (UNA) e Camila Miranda - Investigadora e Diretora da Fundação Nodo XXI, com o tema: Comércio e Tributação; Qual o impacto na Igualdade de Gênero na América Latina.
 
Para debater comércio e tributação e seus vínculos relacionados à igualdade de gênero, foram criados subgrupos e discutido em como organizar um trabalho com evidências sobre a  tributação, pois sem uma tributação justa não há como os Estados garantirem políticas públicas e direitos humanos, principalmente para mulheres e crianças.






 
No segundo dia, dando continuidade ao seminário, foi apresentado o tema: O Sistema da ONU e as Políticas de Gênero para ingressar na CSW (Comissão sobre a Situação da Mulher – sendo esta uma instância da ONU) e  Beijing+25,com  as palestrantes Roosje Saalbrink, da GATJ – Aliança Global para Justiça  Tributária, Kate Donald da CESR - Central Econômico e Social Rights e Verônica Montúfar da ISP - Internacional de Serviços Públicos. Na oportunidade as palestrantes explanaram  sobre a discriminação da mulher na Política Tributária, os abusos fiscais das grandes corporações, a importância da mulher ocupar os espaços de poder, e o empoderamento sobre o tema.
 
Na finalização do seminário, após grandes debates e discussões com as 80 mulheres de diversos países, entre eles: Costa Rica, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, República Dominicana, México, Equador, Onduras, Paraguai, Guatemala, Venezuela, Colômbia, Uruguai e Brasil; foi deliberado a criação de  Grupos de Trabalho da ISP, com uma representante  por  País, para assumir o  GT-ISP   Justiça Fiscal x Justiça de Gênero, com a missão de formação e empoderamento para mulheres.
 
“Me sinto honrada em ser nomeada a representante das Mulheres do Brasil neste Grupo de Trabalho da ISP-Brasil ( GT-ISP ), pois acredito que a tributação e justiça de gênero são vinculadas a políticas públicas e na qual, sem uma política sindical em nossas bases, não há como debater a importância do tema. A mulher precisa estar inserida nas discussões, procurando se qualificar com informações e dados precisos, para que possamos fortalecer a luta de igualdade e oportunidades para as mulheres e meninas. A desigualdade social se torna mais evidente a cada dia, e as mulheres , principalmente mulheres negras, se tornam reféns do poder público.  Nosso  papel como Mulheres  Dirigentes Sindicais  é lutar pela proteção social e  pelos direitos humanos”, discursou Kátia Rodrigues.
 
 

 

Fonte: Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo – Fessp-Esp
 
.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)

24 de Maio: Presidente CSPB convoca filiadas e cerrarem fileiras em defesa da imediata redemocratização do país. Segue a íntegra do pronunciamento: