fechar atenção

Busca não realizada!

Sua busca deve conter no mínimo 2 letras

Guardas municipais realizam em Brasília a XIII edição da Marcha Azul Marinho

17/05/2017 | 14:58





por Valmir Ribeiro
edição de Grace Maciel




A Confederação dos Servidores Públicos do Brasil - CSPB, apoia e dá suporte à XIII edição da Marcha Azul Marinho, realizada nesta quarta-feira (17), em Brasília. A manifestação, com foco na rejeição à “reforma” da Previdência, reúne mais de 2000 guardas municipais de todo o país e antecede o IX Seminário Nacional de Guardas Municipais e Segurança Pública, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados. Dentre demais reivindicações da categoria, destaque para a inclusão das guardas municipais na aposentadoria especial destinada às carreiras policiais no texto da PEC 287.


Seminário


Promovido pela Comissão de Legislação Participativa da casa legislativa, o seminário tem a finalidade de avaliar as necessidades legislativas da categoria e debater as principais proposições em tramitação no Congresso Nacional que dizem respeito às guardas municipais do país. 

O deputado Lincoln Portela (PRB/MG), relator da proposta na comissão, afirma que existem incontáveis omissões legislativas sobre guardas civis. Para o deputado, a sugestão do debate, que reúne parlamentares, representantes das guardas municipais e de órgãos de segurança pública, é imprescindível e relevante para a sociedade brasileira. 

"Trata-se de tema que tem como um dos principais objetivos a valorização das guardas municipais, segmento essencial para a elevação do nível de sensação de segurança dos habitantes das cidades brasileiras", argumentou o deputado. 



O presidente da Associação doa Guardas Municipais de Goiânia – ASGMG, Washington Moreira, um dos organizadores da mobilização, relatou discriminação com a categoria que, integrando as forças de segurança, segue de fora das carreiras contempladas com a aposentaria especial no texto da PEC 287. “Na imensa maioria das cidades nós realizamos patrulhamento ostensivo. Em muitos municípios brasileiros o efetivo das guardas civis é maior que o da polícia militar. Não estamos reivindicando privilégios, mas isonomia em relação às demais categorias que integram as forças de segurança. Somos uma legítima força policial, reconhecida pelos bons serviços prestados à sociedade, e, portanto, não podemos aceitar esse inexplicável tratamento diferenciado e discriminatório”, reforçou Moreira.

As guardas municipais são instituições de caráter civil, uniformizadas e armadas, responsáveis por um conjunto diverso de serviços preventivos de segurança pública, como solucionar conflitos, autuar como agente de trânsito nas vias municipais e encaminhar o autor das infrações ao delegado de polícia.

 




Secom/CSPB

.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)

24 de Maio: Presidente CSPB convoca filiadas e cerrarem fileiras em defesa da imediata redemocratização do país. Segue a íntegra do pronunciamento: