fechar atenção

Busca não realizada!

Sua busca deve conter no mínimo 2 letras

Internacional: CSPB participa do XI Congresso da CLTPJ no Peru

12/09/2013 | 18:47




de Lima (Peru)
Grace Maciel


Os debates do XI Congresso da Confederação Latino-Americana de Trabalhadores do Poder Judiciário- CLTPJ, desta quinta-feira (12), em Lima (Peru), fizeram uma análise ao estudo geral da Organização Internacional do Trabalho- OIT, sobre as convenções 151 e 154.  



A presidente da CLTPJ, a brasileira Maria José da Silva, diretora da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil- CSPB, participou da mesa do primeiro dia de debates e conduziu os trabalhos, levantando a bandeira das convenções tão defendidas pela CSPB. Na oportunidade, também estiveram presentes, o presidente da Federação Nacional dos Servidores do Judiciário nos Estados- Fenajud, Valter Macedo, o dir.  da entidade João Ramalho, e o dir do Sinpojud (Brasil), Cristóvan.

A especialista regional da OIT, Dr. Carmen Benitez Gambirazio, abriu o primeiro debate, com uma explanação sobre as convenções 151 e 154 da OIT, visto que, com muita propriedade, defendeu o direito à organização sindical, à regulamentação do direito à greve, um serviço público de qualidade e a negociação coletiva. Miguel Chilcce (Peru), foi o moderador do debate.

Carmen disse que num primeiro momento, é através da adesão de cada vez mais filiados, fazendo alianças com a cidadania e assim mostrar aos governos a força da organização sindical. Ela também concordou com o segundo vice-presidente da CLTPJ, Carlos Tinoco. O sindicalista ressaltou que as entidades podem organizar suas próprias ações em prol da melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores, com trabalho decente e, assim,  prestar um melhor serviço à população.

Sobre o tema da Reforma do Estado: Lei do Serviço Civil no Peru, o presidente executivo da autoridade do serviço civil do Perú –SERVIR, Dr. Juan Carlos Cortez Carelén, fez uma panorâmica da situação atual no que diz respeito ao tema e respondeu perguntas da população.

Cortez defende que deve-se contar com um serviço civil orientado aos cidadãos, a gestão por resultados, além de profissionalizar os servidores através do mérito; neste caso, que o governo invista nos trabalhadores: ”Estou falando de títulos universitários. No Peru, aquele que tem mais diploma é melhor remunerado que o que mais trabalho. Neste ponto, somos contrários. Precisamos mudar isto. De repente os títulos não tem importância, visto que deve-se capacitar naquilo que vai ajudar no melhor desempenho do trabalho”. finaliza. 

O secretário-geral da Federação Nacional de Trabalhadores do Poder Judiciário- FNTPJ (Peru), Segundo Saldaña Vasquez foi o moderador da discussão que contou com perguntas dos mais diversos países, aguçados pela curiosidade do novo modelo adotado no Peru.



Participam do evento dirigentes sindicais do Brasil, México, Nicaragua, El Salvador, Paraguai, Argentina, Equador, Chile, Bolívia, Costa Rica, Peru e Colômbia.


SECOM/CSPB

.

Preencha o campo abaixo para receber todas as nossas notícias e informações diretamente no seu email! ;-)

João Domingos alerta que governo, ao "retirar" servidores municipais e estaduais da "reforma" da Previdência, pretende desmobilizar as manifestações contra a extensa agenda de retrocessos e jogar a conta da para governadores e prefeitos.